Mesmo com acordo, Fatah e Hamas voltam a se enfrentar

Um tiroteio entre as forças de segurança palestinas e a milícia do Hamas causou a morte de um policial e deixou quatro feridos nesta quinta-feira. O episódio é o mais recente confronto interno entre os palestinos e ocorre mesmo depois da iniciativa de um cessar-fogo entre os dois grupos políticos. A morte do policial aumentou para 10 o número de vítimas da violência interna no último mês. A batalha na Cidade de Gaza aconteceu quando um grupo de policiais que voltava do funeral de um alto comandante colidiu com a nova milícia do Hamas, informaram oficiais de segurança. Militantes do Hamas e das forças de segurança leais ao presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, acusam seus adversários de começarem o confronto. Milicianos do Hamas afirmam que foram atacados por um grupo de homens armados enquanto estavam em seus postos, no centro da cidade. A tensão entre o Hamas e a Fatah aumentou depois que o Hamas venceu as eleições parlamentares palestinas, em janeiro, e assumiram o controle do gabinete Cessar-fogo Também nesta quinta-feira, o presidente Mahmoud Abbas e o primeiro-ministro Ismail Haniye participaram de uma videoconferência, precedida de um pacto de não-agressão entre Fatah e Hamas. O acordo foi acertado na quarta-feira, numa reunião de sete horas entre representantes dos dois grupos no escritório do primeiro-ministro Haniye, do Movimento Islâmico Hamas. Oficiais da segurança do Egito foram os mediadores das negociações.Um dirigente do Fatah presente à reunião com Haniye, Samir al Musharaui, fez na noite de quarta-feira um apelo a todos os filiados e simpatizantes do movimento para que respeitem o cessar-fogo com o Hamas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.