Mesmo com cessar-fogo, Hamas e Fatah se enfrentam

A trégua firmada na terça-feira entre as milícias dos movimentos palestinos Fatah, nacionalista, e Hamas, islâmico, não conseguiu pôr fim aos confrontos armados na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, onde nesta sexta-feira houve pelo menos um ferido grave.A vítima foi baleada em um ataque com armas automáticas da milícia do Fatah contra militantes do Hamas, na cidade de Nablus, na Cisjordânia, segundo testemunhas.Fontes disseram que os militantes islâmicos estavam preparando uma concentração política quando foram atacados. As testemunhas acrescentaram que um dos agressores do Fatah foi capturado por homens armados do Hamas e está desaparecido.Um dos guarda-costas do ministro de Assuntos Exteriores, Mahmoud Zahar, também foi seqüestrado após um tiroteio na quinta-feira à noite no bairro Sabra, em Gaza. Um civil ficou ferido no incidente.Testemunhas asseguram que os agressores são familiares de dois militantes do Fatah que foram mortos na terça-feira no mesmo bairro pelo Hamas.Os dois grupos palestinos estão se enfrentando há dez dias, e no domingo decretaram uma primeira trégua que não foi respeitada.Na terça-feira, foi anunciada uma segunda trégua, quebrada horasdepois pela morte dos dois militantes nacionalistas no bairro Sabra. Desde então, o nível da violência se reduziu consideravelmente,mas ainda são freqüentes os ataques entre um e outro grupo.Negociadores do Hamas e do Fatah anunciaram esta madrugada quehaviam recomposto a frágil trégua de terça-feira depois do seqüestrode um dos guarda-costas do ministro palestino de AssuntosExteriores.Esta manhã, no entanto, o tiroteio em Nablus voltou a pôr em xeque a possibilidade de os líderes políticos de um e outro grupo frearem a sede de vingança de suas milícias.Este texto foi alterado às 10h25

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.