Mesquita xiita sagrada volta a ser atacada no Iraque

Local abriga túmulos dos imames Ali al-Hadi e Hassan al-Askari em Samarra

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 11h59

Uma grande explosão atingiu nesta quarta-feira, 13, dois minaretes da mesquita que abriga os túmulos dos imames Ali al-Hadi e Hassan al-Askari, em Samarra, um dos locais mais sagrados para os xiitas do Iraque. Essa é a segunda vez em pouco mais de um ano que o templo é atacado. A explosão aconteceu às 9 horas (2 horas de Brasília) e derrubou um dos minaretes do templo, segundo as fontes. Antes do atentado, caíram bombas no local. O templo já havia sofrido um atentado semelhante em 22 de fevereiro de 2006. O ataque desencadeou a atual onda de violência sectaria que castiga o Iraque. Desde aquele ataque, tropas iraquianas vigiam o local. As forças de segurança ainda não sabem como os autores do atentado conseguiram penetrar no templo para colocar a carga explosiva, provavelmente de dinamite, segundo as fontes. Após o ataque de 2006, o governo do primeiro-ministro xiita Nouri al-Maliki responsabilizou sunitas infiltrados no complexo da mesquita. Um homem, com supostos vínculos com a Al-Qaeda, foi detido acusado de participar do ataque e executado. Toque de recolher O governo iraquiano decretou "toque de recolher por tempo indefinido" em Bagdá, depois da explosão, segundo um comunicado oficial do escritório do primeiro-ministro, Nouri al-Maliki. O toque de recolher entrou em vigor às 15 horas (8 horas em Brasília). Não há informações de respostas violentas em Bagdá, mas em Samarra manifestações de repúdio ao atentado marcaram o dia. Matéria ampliada às 07h40.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.