Mestre chinês usa astrologia para explicar catástrofes no país

Feng shui afirma que signos do premiê e do presidente, ambos nascidos em 1942, conflitam com ano do rato

Agência Estado e Associated Press,

15 de maio de 2008 | 13h39

O mestre de feng shui Raymond Lo tem uma série de argumentos astrológicos para explicar por que este primeiro semestre de 2008, ano dos tão esperados Jogos Olímpicos de Pequim, está sendo tão conturbado para a China.  Veja também:Mapa da destruição na China  Em menos de quatro meses, a China foi castigada por uma série de catástrofes naturais e agitada pelos violentos protestos no Tibete. A esses eventos somaram-se os tumultos criados por ativistas tibetanos durante o revezamento da tocha olímpica ao redor do mundo. Depois aconteceu ainda um mortífero acidente ferroviário seguido pelo catastrófico terremoto de 7,9 graus na escala Richter ocorrido no início desta semana em Sichuan. Lo, que vive em Hong Kong, tentou explicar alguns desses acontecimentos com base na astrologia chinesa, um sistema tradicional desenvolvido há milhares de anos. Para ele, parte do problema pode residir na data de nascimento de alguns dos principais líderes políticos da China, mais especificamente do presidente Hu Jintao e do primeiro-ministro Wen Jiabao. Ambos nasceram em 1942, no Ano do Cavalo. Segundo a astrologia chinesa, 2008 é o Ano do Rato e, segundo Lo, isso é parte do problema. "O povo chinês acredita na astrologia dos animais", comentou Lo durante conversa por telefone com a Associated Press. "Pela astrologia, sabemos que o cavalo entra em choque com o rato. É uma coisa muito comum, bastante conhecida do povo chinês. Portanto, se você nasceu no Ano do Cavalo, por causa desse conflito, o Ano do Rato será muito turbulento para você." Mas existe remédio para isso, afirma Lo. Ele sugere que pessoas do mesmo signo chinês que Hu e Wen podem carregar consigo um pingente de boi para amenizar os problemas, uma vez que o boi é visto como um amigo do rato. Outra razão, prossegue ele, é que o Ano do Rato é simbolizado pela terra e pela água, o que sinalizaria um relacionamento instável para 2008. De acordo com Lo, a astrologia chinesa é uma crença tradicional surgida há cerca de 4 mil anos e muitos chineses acreditam que 2008 não será um ano muito próspero para a China. "As pessoas comuns talvez não entendam isso, mas bem lá na origem da civilização iniciou-se uma crença hoje profundamente arraigada na cultura chinesa", prosseguiu ele. Lo prevê mais desastres naturais na China este ano, mas isso não quer dizer que eles acontecerão entre 8 e 24 de agosto, quando ocorrerá a Olimpíada. É bom lembrar que o oito é considerado um número de sorte na China. E não é à toa que os jogos começarão em 8 de agosto de 2008. "É um bom dia, um dia de realizações", afirma Lo. "Não existe nada de ruim com esse dia. Apenas calhou de este ser um ano conturbado para a China. O calendário não diz nada sobre os Jogos Olímpicos, mas nos diz que este será um ano de desastres da terra e da água. Isso significa que desastres naturais são comuns num ano assim." No entanto, algumas páginas em mandarim na internet têm apontado para coincidências negativas com o número oito este ano. Uma tempestade de neve atingiu a China em 25 de janeiro. Somando os números do dia e do mês, 2+5+1=8. Os choques no Tibete começaram em 14 de março: 1+4+3=8. E o terremoto ocorreu em 12 de maio: 1+2+5=8. Por fim, o violento tremor de terra ocorreu a exatos 88 dias da abertura dos Jogos Olímpicos.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.