Metade do mundo viverá em cidades até o fim de 2008, diz ONU

Até o final do ano, pela primeiravez na história mais de metade da população mundial viverá emcidades, segundo relatório divulgado na terça-feira pela ONU. O estudo estima que até 2050 haverá 6,4 bilhões dehabitantes nas cidades, quase o dobro dos 3,3 bilhões atuais.Nesse período, a população total deve passar de 6,7 para 9,2bilhões de pessoas. As regiões mais desenvolvidas do mundo -- Europa, Américado Norte e Oceania -- já têm uma população majoritariamenteurbana, assim como América Latina e Caribe. África e Ásia, ondese concentra a maior parte da humanidade, ainda têm uma maiorpopulação rural do que urbana (numa proporção de 60-40 porcento). A expectativa é de que a população rural do mundo comece adeclinar dentro de uma década, aproximadamente, e caia dos 3,4bilhões contabilizados em 2007 para 2,8 bilhões em 2050. Alguns países, como a Índia -- onde ficam duas das maioresmetrópoles do mundo, Mumbai e Délhi, com respectivamente 19 e18,8 milhões de habitantes em 2007 -- pretendem reduzir aurbanização com incentivos ao desenvolvimento de áreas rurais. Mas, apesar dos desafios que a urbanização representa paraos governos, Hania Zlotnik, diretora da Divisão de População daONU, disse a jornalistas que o crescimento das cidades costumaser um sinal de dinamismo econômico, e que os governos deveriamsaber disso. Até 2025 devem surgir mais oito "megacidades" (com mais de10 milhões de habitantes), o que representa novos desafios,especialmente no campo da saúde pública, segundo Zlotnik, Na Ásia, de acordo com ela, a população urbana deve superara rural entre 2020 e 2025, enquanto na África isso ocorreráentre 2045 e 2050. Cerca de 40 por cento da população da China já vive emcidades, e em 2050 devem ser 70 por cento -- ou seja, mais de 1bilhão de pessoas em áreas urbanizadas daquele país, o maispopuloso do mundo. Até 2025, a próspera Shenzhen, vizinha a Hong Kong, deveatingir 10,2 milhões de habitantes, tornando-se a terceiramegacidade chinesa, junto com Pequim e Xangai, segundoprojeções da ONU. A Índia, segundo país mais populoso, tem atualmente apenas29 por cento de seus habitantes em áreas urbanas. Até 2050,devem ser 55 por cento. "A Índia deve se urbanizar bem menos do que a China, eportanto espera-se que permaneça como o país do mundo com amaior população rural", disse Zlotnik. Mas o país também terá duas novas megacidades até 2025,junto com as atuais Mumbai e Délhi. Calcutá deve atingir 20,6milhões de habitantes, e Chenai (Madras) chegará a 10,1milhões, sempre segundo os cálculos da ONU. Até 2025, deve haver 27 megacidades no mundo, e na Europasó Paris vai entrar na lista, com a cifra mínima de 10 milhõesde moradores. Das 19 megalópoles atuais, só duas (Moscou eIstambul) ficam na Europa. A Grande Tóquio deve continuar sendo a cidade mais populosado mundo -- os 35,7 milhões de habitantes do último censo devemchegar a 36,4 milhões dentro de 17 anos. A África atualmente tem apenas uma megalópole, o Cairo.Kinshasa (Congo) e Lagos (Nigéria) devem entrar na lista até2025.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.