Metade dos Estados Unidos coberta pela neve

As tempestades de neve reduziram-se antes que as pessoas começassem a sair para o trabalho, hoje, enquanto turmas de trabalhadores abriam caminho através da neve e de uma cobertura de gelo formada pelas tormentas, que fecharam escolas para mais de um milhão de estudantes e suspenderam viagens aéreas.Motoristas que esperavam enfrentar muita neve na Pensilvânia, Nova Jersey, Nova York, Connecticut, Rhode Island e Massachusetts encontraram rodovias derrapantes mas transitáveis. Cairam mais de 25 centímetros de neve no nordeste dos EUA, principalmente em Nova Jersey mas, para o dia de hoje, apenas mais dois centímetros ou mais eram esperados segundo o Serviço Nacional de Meteorologia.?Estamos relativamente bem?, disse o governador de Nova Jersey, James E. McGreevey. ?Todas as rodovias estão transitáveis mas estamos começando a ter mais acidentes agora, por isso estamos pedindo às pessoas para andar devagar.?A neve foi a última dor de cabeça de uma série de tormentas que espalharam neve e gelo por partes de metade do país, o leste, desde o final de semana. O gelo, na Geórgia e nas Carolinas, Norte e Sul, derrubaram a energia elétrica de milhares de casas, ontem, e tornaram estradas escorregadias, fecharam escolas, comércio e escritórios governamentais do centro até a costa.No mínimo, 50 mortes foram atribuídas à neve, gelo e frio do Kansas a Costa Leste esta semana.Hoje, as escolas permaneciam fechadas em muitos distritos de Nova Inglaterra e na região do Atlântico, incluindo as da cidade de Nova York, o maior sistema escolar do país, com 1,1 milhão de estudantes. Para milhares de crianças de Maryland, foi o terceiro dia consecutivo de folga, enquanto equipes de trabalhadores tentavam desobstruir as rodovias.Entretanto, a tempestade hoje não atendeu às expectativas. Dos 33 centímetros previstos para a noite em Albany, Nova York, caíram apenas oito, segundo o Serviço de Meteorologia. Rhode Island teve apenas 25 centímetros, menos que o previsto. E em Massachussetts, as condições de frio seco significaram ?dificuldades para a neve chegar ao solo?, disse o meteorologista Alan Dunham.Centenas de vôos foram cancelados desde ontem no Aeroporto de Newark, onde caíram 23 centímetros de neve. Mas de 100 vôos não puderam pousar e dezenas foram desviados para o Aeroporto de La Guardia, e cancelamentos e atrasos eram previstos para o Kennedy e para as balsas de Nova York e Nova Jersey.Nova York acumulou 20 centímetros de nove no Central Park. A cidade já gastou US$ 21 milhões na remoção de neve nesta estação, US$ 1 milhão mais do que estava orçado, e usou 250 mil toneladas de sal, disse um funcionário da prefeitura.?Isto é muito diferente para mim?, dizia Bill Gillies, um advogado de Melbourne, Austrália, em visita a Nova York. ?Mas estou espantado como as pessoas estão enfrentando.?Cerca de 100.000 usuários ainda estavam sem energia elétrica, hoje, na Carolina do Sul. ?O concerto está lento porque temos de arrumar a mesma linha três ou quatro vezes?, disse Cristy Farrell, porta-voz da South Carolina Electric & Gas. ?Acabamos de consertar uma seção e já tem uma árvore caindo não muito longe, em outra seção.O tempo foi responsabilizado por sete mortes na Carolina do Norte; seis na Carolina do Sul; cinco em Iowa; cinco no Missouri; quatro em Ohio; três em Nebrasca; três na Virgínia; três em Minnesota; três em Maryland; duas em Indiana; duas em Illinois; duas na Pensilvânia; duas em Oklahoma; and uma cada em Kansas, Nova Jersey e Virgínia Oeste. A maioria das mortes deveu-se a acidentes de trânsito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.