Metas de Obama em 2014 serão testadas no Congresso

O início de 2014 traz dois rápidos testes da capacidade do presidente dos EUA, Barack Obama, de mover sua agenda pelo Congresso. A Casa Branca tenta convencer os parlamentares a restaurarem a extensão de benefícios aos desempregados e elevar o limite de endividamento do governo logo no começo do ano.

AE, Agência Estado

05 de janeiro de 2014 | 20h17

O Senado deve realizar a votação inicial sobre os benefícios a partir de amanhã e, dentro de dois meses, os parlamentares discutirão novamente os termos para elevar o teto da dívida. A suspensão do limite de endividamento do governo americano, que entrou em vigor em outubro, termina em 7 de fevereiro.

Se Obama conseguir um acordo com parlamentares republicanos sobre esses assuntos, a Casa Branca espera que o caminho se abra para outros temas na agenda do governo, como a reforma das leis de imigração e o aumento do salário mínimo. Mas, se os dois partidos chegarem a um impasse, os objetivos podem rapidamente se dissipar.

Obama, que aproveitou neste domingo seu último dia de férias no Havaí, tentará dar sequência às mesmas propostas que sofreram impasse em 2013. Autoridades da Casa Branca afirmam, porém, que o projeto orçamentário definido no mês passado pode estimular acordos bipartidários, tornando este ano mais produtivo que o ano passado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAObamaagenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.