Metrô de Moscou descarrila e deixa 15 mortos

Acidentes acontecem regularmente no sistema de metrô da capital

Agência Estado

15 de julho de 2014 | 09h40

Um trem do metrô de Moscou descarrilou nesta terça-feira, no horário de maior movimento, matando 15 pessoas e deixando ao menos 150 feridas, muitas com gravidade, informaram autoridades russas.

Vários vagões saíram dos trilhos no interior de um túnel depois de uma oscilação de energia ter disparado um alarme, o que fez o trem parar de forma abrupta, informou o Ministério de Situações Emergenciais em comunicado.

Os serviços de emergência retiraram 12 corpos e trabalhavam na remoção de outros três dos escombros de um vagão, informou o prefeito de Moscou, Viktor Biryukov, a agências de notícias russas.

Dos 150 feridos, pelo menos 50 deles estão em estado grave, disse o chefe do departamento de saúde de Moscou, Georgy

Golukhov, segundo a agência Itar-Tass.

Os aeroportos da capital russa e o sistema de transporte foram atingidos por vários ataques terroristas nas últimas duas décadas, mas autoridades disseram que o acontecimento desta terça-feira parece ter sido um acidente. O ministro de Situações Emergenciais, Vladimir Puchkov, declarou que um ataque terrorista não é considerado uma possível causa do descarrilamento.

Yuri Akimov, porta-voz dos serviços de emergência de Moscou, disse que cerca de 200 pessoas foram retiradas do trem acidentado, que saiu dos trilhos no percurso entre duas estações.

A estação de Park Pobedy é a mais profunda do sistema de metrô de Moscou. Ela fica a 84 metros de profundidade, o que tornou o serviço de resgate particularmente difícil.

O metrô de Moscou é um dos mais famosos do mundo, conhecido pelo interior palaciano de suas estações que têm mosaicos, lustres e bancos de mármore.

Os feridos eram retirados da estação Park Pobedy em macas. Paramédicos levaram uma mulher sob um cobertor até o gramado do famoso Arco do Triunfo e a colocaram num helicóptero que a levou a um hospital. Quatro aeronaves transportam os feridos mais graves.

Um homem com um corte na testa, que estava no metrô na hora do acidente, disse à emissora de televisão Rossiya 24 que sentiu um solavanco e que abruptamente a composição parou. "Havia fumaça e estávamos presos lá dentro", disse ele. "É um milagre termos saído. Eu achei que era o fim."

Embora acidentes aconteçam regularmente no sistema de metrô da capital russa, acidentes graves são raros. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiametrôdescarrilamentomortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.