Metroviários mantêm greve em Atenas pelo sexto dia

Trabalhadores do metrô de Atenas, capital da Grécia, desafiaram uma ordem judicial para voltarem ao trabalho e continuaram protestando pelo sexto dia seguido, enquanto as manifestações contra novos cortes em pagamentos aumentam na cidade. O tráfego nas ruas de Atenas piorou à medida que ônibus estatais, bondes e trens se juntaram aos metroviários com uma paralisação de quatro a cinco horas.

AE, Agência Estado

22 de janeiro de 2013 | 11h46

A decisão judicial da noite de ontem permite que o governo ative poderes emergenciais para forçar os grevistas a voltarem ao trabalho. Mas o sindicato da categoria afirmou que não vai recuar. Os trabalhadores estão protestando contra mudanças nas escalas de pagamento do setor público implementadas pelo governo, que efetivamente resultam em novos cortes salariais para muitos.

"Qual é o objetivo de trabalhar? Nós trabalhamos no subsolo, num frio que congela no inverno e frequentemente durante a noite e não podemos viver com o que ganhamos", disse Antonis Stamatopoulos, que dirige o sindicato dos metroviários.

O Parlamento da Grécia aprovou novas medidas de austeridade no mês passado, um passo essencial para que o país continue recebendo dinheiro dos fundos de resgate europeus no valor total de 240 bilhões de euros (US$ 320 bilhões).

Na noite de ontem, os ministros de Finanças da zona do euro, o Eurogrupo, aprovaram o desembolso de uma parcela de 9,2 bilhões de euros (US$ 12,3 bilhões) à Grécia, sendo que a maior parte desse valor será destinado à recapitalização de bancos gregos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GRÉCIAGREVE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.