Murad Sezer / Reuters
Murad Sezer / Reuters

'Meus filhos escaparam das minhas mãos', diz pai de bebê sírio morto

'Estava escuro e todos gritavam. Não conseguia ouvi-los', diz Abdullah Kurdi, que fugiu do Estado Islâmico em Kobane, na Síria

O Estado de S. Paulo

03 Setembro 2015 | 12h19

ANCARA - Abdullah Kurdi, o pai do bebê sírio que morreu em um naufrágio na costa da Turquia enquanto tentava emigrar para a Europa, diz que perdeu os dois filhos ao não conseguir segurá-los durante o acidente. 

"Eu segurava a mão da minha mulher, mas meus filhos escaparam das minhas mãos", disse Abdullah à agência turca Dogan. Além de Aylan, o refugiado perdeu a mulher Rihanna e o filho mais velho, Ghaleb. 

"Estava escuro e todos gritavam. Não conseguia ouvi-los", contou Abdullah. Nadei até a praia, mas não consegui encontrá-los. Soube da notícia no hospital."

A família é da cidade síria de Kobane, palco de intensos confrontos entre o Estado Islâmico e milícias curdas. O refugiado contou que essa era a segunda vez que tentavam chegar a Grécia pela Turquia. Na primeira vez, o barco em que viajavam foi interceptado pela Guarda Costeira grega e mandado de volta. Pelo menos 12 pessoas morreram no naufrágio de ontem. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Síria Grécia. Turquia refugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.