Mexicanos aguardam as eleições para escolher sucessor de Fox

O dia antes das eleições nas quais será eleito o futuro presidente do México foi de calma, e hoje teve a novidade que os professores que desde maio se manifestam em Oaxaca não boicotarão a jornada eleitoral em seu estado.Os últimos preparativos antes de eleições para as quais 71,3 milhões de mexicanos (52% de mulheres e 48% de homens) foram convocados ocorreram com tranqüilidade, o que contrasta com o clima tenso da campanha eleitoral, que durou mais de cinco meses.Hoje terminou o histórico recebimento do voto dos mexicanos no exterior, autorizado para estas eleições pela primeira vez e limitada à escolha do presidente.O número de mexicanos registrados para exercer este direito foi baixo e os votos não serão decisivos, mas os que participaram (cerca de 80% dos 40.876 inscritos em 80 países) são os primeiros a fazer parte da escolha a partir do exterior.Em relação aos preparativos, a titular da Promotoria Especializada para Atendimento de Delitos Eleitorais (Fepade), María de los Angeles Fromow, disse hoje que foram instalados módulos de atendimento nos 300 distritos eleitorais em que o país está dividido.A Fepade, subordinada à Procuradoria Geral da República, é a dependência que atenderá as denúncias dos partidos e dos cidadãos durante o dia de amanhã.Este órgão lançou campanhas de conscientização com lemas como "você decide o voto, não o venda", e informou as pessoas sobre como denunciar as irregularidades que podem acontecer amanhã nas 130.500 mesas eleitorais que devem ser instaladas a partir das 8h (10h de Brasília).Talvez o acontecimento mais positivo do dia tenha sido o que surgiu em Oaxaca, estado do sul do México, onde professores que ameaçavam boicotar a eleição desistiram do plano.O líder do Sindicado Nacional de Trabalhadores da Educação (SNTE), Enrique Rueda, informou que não há previsão de prejudicar a votação, mas houve o pedido de um voto de castigo contra o Partido Revolucionário Institucional (PRI) e o Partido de Ação Nacional (PAN), por não atender suas reivindicações.O PRI governa em Oaxaca e o PAN, partido de Fox, é o responsável pelo Governo federal.Amanhã, serão mobilizados 913.000 responsáveis nas mesas eleitorais, que atenderão os milhões de mexicanos convocados às urnas.A segurança e a ordem estarão asseguradas por cerca de 340.000 agentes, enquanto o desenvolvimento da votação será acompanhado de perto por 693 observadores internacionais e 24.764 nacionais.Além das 500 cadeiras da Câmara dos Deputados e das 128 do Senado, haverá a renovação dos Governos em quatro estados (Morelos, Guanajuato, Jalisco e Distrito Federal), e em mais de cem Prefeituras.Os primeiros resultados da disputa começarão a aparecer a partir das 20h (22h de Brasília) através do Programa de Resultados Eleitorais Preliminares (PREP), controlado pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE).O processo durará algumas horas, mas, antes de terminar às 23h (1h de Brasília), deve ser divulgado, se a margem de diferença entre o primeiro e o segundo for suficientemente aberta e permitir uma "contagem rápida", isto é, uma mostra estatística de 7.636 mesas eleitorais que indicaria possíveis tendências eleitorais definitivas.Ao contrário das pesquisas de boca-de-urna, que são feitas com a opinião das pessoas na saída da votação, as "contagens rápidas" vêm das atas de apuração das mesas eleitorais selecionadas.

Agencia Estado,

01 de julho de 2006 | 23h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.