Mexicanos fazem fila para escolher sucessor de Fox

Milhões de mexicanos já começaram a escolher seu próximo presidente comparecendo em uma das mais de 130 seções eleitotais espalhadas pelos 32 Estados do país. O bom tempo na maior parte do México e o grande número de eleitores que fizeram fila desde a abertura da votação, às 8 horas da manhã, reforçou previsões de um comparecimento recorde na acirradíssima disputa entre o ex-prefeito da Cidade do México, o esquerdista Andrés Manuel Lopez Obrador, de 52 anos, do Partido Revolucionário Democrático (PRD) e o ex-ministro da Energia do atual governo, Felipe Calderón Hinojosa, de 43, do Partido de Ação Nacional. López Obrador foi o primeiro eleitor a votar na seção eleitoral número 23, na Colônia Roma, onde vive, na Cidade do México. O candidato, que é viúvo, compareceu acompanhado por dois de seus filhos e teve que esperar quase uma hora por causa do atraso na abertura da seção eleitoral, causado pelo atraso de dois mesários.As últimas pesquisas mostraram um empate técnico entre López Obrador e Calderón, seguidos de perto por Roberto Madrazo, do Partido Revolucionário Institucional (PRI). Há mais de 71 milhões de eleitores registrados. A taxa de abstenção é considerada o dado chave para a definição do pleito.Segundo fontes oficiais, um comparecimento acima de 65% favoreceria López Obrador, enquanto que um comparecimento mais próximo à faixa dos 60% beneficiaria Calderón. Uma forte taxa de abstenção poderia levar a uma surpreendente: a vitória do candidato do PRI, que tem a maior máquina eleitoral. Um triunfo apertado do líder conservador poderá ser contestado por seu rival esquerdista e abrir uma crise. As projeções dos resultados com base em pesquisas de boca de urna estão proibidas até o fechamento de todas as urnas no país - às 20 horas locais, 22 horas em Brasília.O Instituto Federal Eleitoral fará o primeiro anúncio sobre a tendência às 23 horas locais, com base nos votos apurados em mais de 7.600 seções eleitorais. A apuração estará terminada na manhã da segunda-feira. Esta é a primeira vez que os mexicanos elegem seu presidente desde o fim das sete décadas do regime monolítico do PRI, que terminou seis anos atrás com a eleição do presidente Vicente Fox, do PAN. Embora os discursos dos dois principais candidatos e os insultos pessoais trocados entre eles durante a campanha tenham polarizado e reduzido o debate eleitoral a uma falsa confrontação entre ricos e pobres, impedindo uma discussão substantiva de suas propostas para o país, López Obrador e Calderón disputam hoje, sobretudo, os votos da crescente classe média urbana do México. Pesquisas eleitorais feitas por órgãos de imprensa antes do início da votação davam ligeira vantagem para López Obrador, mas dentro da margem de erro. Sondagens internas do PAN colocavam Calderón na dianteira. Pelo menos um entre os três outros candidatos viam, no sábado, o candidato conservador mais próximo da vitória do que o populista ex-prefeito do México. O vencedor sucederá Fox no dia 10 de dezembro.A eleição envolve também a escolha de quatro governadores de estados, 168 senadores e 500 e centenas de prefeitos.Matéria atualizada às 15h02 para o acréscimo de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.