Timur Matahari/AFP
Timur Matahari/AFP

México aprova vacina AstraZeneca/Oxford contra a covid-19

O país começou a vacinar seus profissionais de saúde com o medicamento fabricado pela dupla alemã-americana Pfizer BioNTech no dia 24 de dezembro

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de janeiro de 2021 | 03h11

MÉXICO - O México concedeu nesta segunda-feira, 4, autorização de emergência para a vacina contra a covid-19 desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, anunciou o governo.

A Comissão Federal de Proteção contra Riscos Sanitários (Cofepris) "autorizou a vacina AstraZeneca para uso emergencial contra o vírus SARS-CoV-2", disse Hugo López-Gatell, subsecretário de Saúde e porta-voz da estratégia do governo contra o coronavírus.

O funcionário disse que a vacina pode estar disponível em março. “Depende das entidades privadas que nela trabalham especificar a capacidade de produção”, explicou mais tarde durante a sua habitual conferência vespertina.

No dia 24 de dezembro, o país latino-americano começou a vacinar seus profissionais de saúde com o medicamento fabricado pela dupla alemã-americana Pfizer BioNTech. Cerca de 30 mil trabalhadores, aproximadamente um quarto do esperado na primeira etapa, haviam recebido a vacina até domingo, segundo o governo.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse que até a primeira quinzena de janeiro se espera vacinar de 700 mil a 750 mil profissionais de saúde na linha de frente da pandemia.

O México participa de um convênio com a Fundação do magnata mexicano Carlos Slim, a AstraZeneca e a Universidade de Oxford para a produção do biológico na Argentina e sua embalagem em instalações mexicanas, bem como sua distribuição sem fins lucrativos na América Latina, exceto Brasil.

O acordo firmado pelo México inclui a aquisição de 77,4 milhões de doses da vacina AstraZeneca/Oxford.

O governo do México assinou acordos de 1,659 bilhões de dólares com diversos laboratórios para a compra de até 200 milhões de doses que permitirão imunizar, gratuitamente, cerca de 116 milhões de mexicanos entre 2020 e 2021, segundo o Ministério da Fazenda.

O México, com 128 milhões de habitantes, é o quarto país que mais lamenta em números absolutos por causa do coronavírus, com 127.757 mortes e 1,4 milhão de infectados, segundo dados oficiais divulgados até esta segunda-feira./AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.