México captura suposto líder do cartel Los Zetas

Forças de segurança mexicanas capturaram Luis Jesus Sarabia, um suposto líder do cartel do narcotráfico Los Zetas em três Estados do norte mexicano. Sarabia, de apelido pepito, é suspeito de ser o autor da morte de um agente da imigração norte-americana no ano passado. O porta-voz do Exército do México, o general Ricardo Trevilla, disse que Sarabia é confidente do chefe máximo de Los Zetas, Heriberto Lazcano, e era responsável pelas operações da organização criminosa nos estados de Coahuila, Aguascalientes e San Luis Potosi.

AE, Agência Estado

13 de janeiro de 2012 | 18h25

Trevilla disse que policiais e soldados capturaram pepito no vilarejo de García, no Estado de Nuevo León. Trevilla afirmou que Sarabia, cuja idade não foi divulgada, é amigo de Miguel Angel Treviño, considerado o segundo homem mais importante no cartel, após Heriberto Lazcano.

Sarabia foi escoltado por soldados do exército nesta sexta-feira e apresentado em uma coletiva de imprensa na sede da promotoria. O olho esquerdo parecia inflamado por algum golpe ou soco recebido. O traficante coxeava ao caminhar, apertava a boca e fazia expressões de dor.

Em fevereiro do ano passado, o agente americano Jaime Zapata foi atacado a tiros e morto em San Luis Potosi quando dirigia em uma autoestrada. O agente dos EUA Victor Avila, que também estava no carro, ficou ferido. Trevilla disse que Sarabia foi capturado na quarta-feira sem o disparo de nenhum tiro. Ele é suspeito de ter ordenado ou ser o coautor de 50 execuções, a maioria de suspeitos de um cartel rival do narcotráfico. A polícia também acredita que Sarabia é suspeito de ter sequestrado pelo menos 20 empresários, que tiveram que pagar resgates para serem libertados.

Um suspeito mexicano, Julián Zapata, já foi capturado e extraditado aos EUA no caso da morte do agente norte-americano. Zapata se declarou inocente das acusações de homicídio e tentativa de homicídio. Guillermina Cabrera, chefe da unidade antidrogas da Procuradoria Geral do México, disse que a ordem de prisão contra Sarabia data de maio de 2011.

"Rainha do Pacífico" - Um juiz federal mexicano rechaçou, na quinta-feira, uma segunda tentativa de extradição de uma mulher que supostamente comandou um cartel da droga, Sandra Ávila Beltrán, para os Estados Unidos, onde ela enfrentaria acusações e julgamento por tráfico de cocaína aos EUA. Apelidada de Reina del Pacífico (Rainha do Pacífico), Sandra é acusada por um tribunal da Flórida de ter tentado enviar mais de 9 toneladas de cocaína aos EUA. A droga foi apreendida em um barco na costa mexicana em Manzanillo em 2011, no Pacífico. Mas Ávila enfrenta também outras acusações nos EUA, como a de que trafica desde 2007 a cocaína do México para a Flórida e outros estados.

Embora a extradição tenha sido rejeitada, Ávila permanece presa no Estado de Nayarit, onde aguarda julgamento por lavagem de dinheiro. Quando foi detida em 2007, a polícia disse que Sandra Ávila passou mais de uma década seduzindo sequestradores e narcotraficantes e tentando unir gangues mexicanas com colombianas. Ela seria o principal elo de ligação, acredita a polícia mexicana, entre o cartel de Sinaloa com o cartel Norte del Valle da Colômbia.

Nascida em 1960, Sandra Ávila é sobrinha de Miguel Angel Félix Gallardo, o El padrino, (O padrinho) do narcotráfico mexicano, que cumpre sentença de 40 anos de prisão no México por tráfico de drogas e assassinato do agente norte-americano Enrique Camarena, crime ocorrido no Estado de Jalisco. Ela foi casada duas vezes com policiais, que mais tarde entraram para o tráfico e foram mortos.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.