REUTERS/Jorge Duenes
REUTERS/Jorge Duenes

México é 5º país com mais mortos pelo coronavírus e o 3º nas Américas

País registrou oficialmente 30.366 mortes desde o início da pandemia; governadora da Cidade do México, ordena o fechamento de lojas no centro histórico após descumprimento de normas sanitárias

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de julho de 2020 | 20h32

Correções: 06/07/2020 | 11h49

CIDADE DO MÉXICO - O México totalizou 30.366 mortes por covid-19 e superou a França (29,8 mil), tornando-se o 5.º país com mais vítimas pela pandemia e o 3.º nas Américas, atrás de Estados Unidos (129,7 mil) e Brasil (64 mil). O país tem mais de 252 mil casos confirmados do novo coronavírus, segundo o Ministério da Saúde.

De acordo com o vice-ministro da Saúde, Hugo Lopez Gatell, o número de infectados deve ser significativamente maior. “Sabemos desde o início que os casos reportados não representam o total de pessoas com covid-19”, disse durante entrevista coletiva. “Nem o México ou qualquer outro país do mundo conseguiu fazer uma contagem absoluta.” 

Citando dados do registro civil, a TV mexicana Milenio disse no dia 19 que o número de pessoas que morreram pelo vírus é o dobro do reportado pelo Ministério da Saúde. A agência Reuters não conseguiu confirmar a informação.

A capital é o distrito mais afetado pela covid-19 e, apesar de ter iniciado este mês uma reabertura econômica, no fim de semana o governo ordenou o fechamento de lojas do centro histórico que costumam atrair multidões. A governadora da Cidade do México, Claudia Sheinbaum, disse na sexta-feira que várias lojas no centro não estavam cumprindo as estritas condições de reabertura. 

O México, país com 127 milhões de habitantes, utiliza um alerta epidemiológico com as cores vermelho, laranja, amarelo e verde. Dezessete dos 32 Estados do país estão na cor laranja, incluindo a capital. Outros cinco Estados que estavam no laranja foram colocados novamente no vermelho na sexta-feira por causa do aumento de contágios.

Os mexicanos pressionam por uma rápida reabertura. Mais empregos foram perdidos em abril do que foram criados em 2019 e um recente relatório de uma agência governamental indica que até 10 milhões de pessoas podem cair na pobreza este ano.

Apesar do crescente número de mortos e infectados no México, moradores da cidade mexicana de Sonoyta bloquearam no fim de semana a estrada que leva ao Arizona, para impedir a entrada de americanos durante o feriado do Dia da Independência nos EUA. O Arizona registrou um grande aumento no número de infecções e há o temor de um pico de contágios após a festividade.

Na semana passada, os EUA registraram três dias consecutivos com mais de 50 mil novos casos de coronavírus em 24 horas. Muitos eventos pelo 4 de Julho foram cancelados, mas o presidente Donald Trump ignorou os riscos e reuniu milhares de pessoas na sexta-feira para um discurso no Mount Rushmore e centenas para uma festa na Casa Branca no sábado. / REUTERS e AFP

Correções
06/07/2020 | 11h49

Em versão anterior, publicada às 20h32 de 05/07, a reportagem informava erradamente que o México se tornou "o 3.º na América Latina" em número de mortos por covid-19, "atrás de Estados Unidos (129,7 mil) e Brasil (64,9 mil)". O México, na verdade, se tornou o 3.º país nas Américas. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.