EFE/Sáshenka Gutiérrez
EFE/Sáshenka Gutiérrez

México é a segunda zona de conflito mais letal do mundo, aponta pesquisa

Guerra contra as drogas causou cerca de 23 mil homicídios em 2016 no país, mais do que as vítimas de confrontos registradas no Iraque e no Afeganistão

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2017 | 12h19

CIDADE DO MÉXICO - O México ultrapassou o Iraque e o Afeganistão e é a segunda zona de conflito mais letal do mundo, ficando atrás somente da Síria, segundo um relatório publicado recentemente pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês). Os dados são um golpe nos esforços do presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, para tentar acabar com confrontos motivados por tráfico de drogas.

Somente em 2016, o país registrou cerca de 23 mil homicídios, enquanto a Sìria contabilizou 60 mil, explicou Antonio Sampaio, um dos autores da “Pesquisa de Conflito Armado 2017”. No Iraque, 17 mil pessoas foram vítimas de conflitos, enquanto no Afeganistão foram 16 mil.

Segundo a revista Newsweek, o IISS explica que a luta contra os cartéis de drogas são considerados conflitos armados, mas não são a mesma forma de violência registrada em países como Brasil e Venezuela.

Veja abaixo os números do relatório. / REUTERS

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.