México investiga denúncia de mais um sequestro de estudantes

Segundo depoimento de uma mãe, 31 estudantes foram sequestrados em julho em município vizinho de Iguala

O Estado de S. Paulo

27 de novembro de 2014 | 12h11

CIDADE DO MÉXICO - O governo do México está investigando uma denúncia sobre o suposto sequestro de 31 estudantes de ensino médio no Estado de Guerrero ocorrido em julho, disse na quarta-feira o secretário de Governo, Miguel Ángel Osorio, dia em que o desaparecimento de 43 alunos no mesmo Estado completou dois meses.

"Estamos investigando. Espero ter mais alguns elementos para poder informá-los", disse Osorio em entrevista a uma rádio, ao responder sobre o relato divulgado pela emissora francesa France 24.

O depoimento de uma mulher foi apresentado pela apresentadora e dizia que disse que a filha dela fazia parte do grupo de 31 estudantes que foram sequestrados no dia 17 de julho, em plena luz do dia, por homens armados e encapuzados que estavam em viaturas da polícia municipal em uma escola na praça principal de Cocula.

"De início, te digo que o diretor (da escola) disse que não há nenhuma ausência entre os alunos que estão em suas listas. Além disso, estamos buscando no Estado, na Procuradoria do Estado de Guerrero, para ver se há alguma denúncia ou alguma informação a respeito", afirmou Osorio.

O ministro acrescentou que é preciso "esperar para não errar" e a Procuradoria estadual se pronunciará "se há algum indício, alguma denúncia ou alguma investigação".

De acordo com as declarações da mulher entrevistada pela France 24, os moradores de Cocula não denunciaram o incidente porque foram ameaçados pelos sequestradores.

Cocula é um município vizinho de Iguala, onde seis pessoas morreram e 43 estudantes desapareceram no dia 26 de setembro. O crime foi cometido por policiais e membros do cartel de narcotraficantes Guerreros Unidos, de acordo com a investigação da Procuradoria-Geral da República do México. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.