México investiga entrada ilegal de 54 cubanos

Todos estão sob custódia do Instituto Nacional de Migração

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

A Procuradoria Geral do México iniciou neste sábado, 16, uma investigação para determinar se serão processados os quatro "polleros" (traficantes de pessoas) que introduziram no país 54 cubanos, entre eles uma recém-nascida. Os 54 cubanos e os quatro "polleros" (três deles, americanos de origem cubana), que viajavam a bordo de duas embarcações, foram detidos pela Marinha do México na tarde de quarta-feira. Fontes da Procuradoria Geral da República (PGR) disseram que foram abertas duas investigações por violação da Lei Geral de População. Tanto os supostos traficantes de pessoas quanto os imigrantes ilegais, todos sob custódia do Instituto Nacional de Migração, começaram a depor nesta sexta-feira, 15, na delegacia da PR em Cancún. Isla Mujeres, próxima ao pólo turístico de Cancún, é o principal porto de entrada da imigração ilegal cubana na região.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.