México: López Obrador convoca protesto contra resultados eleitorais

O candidato de esquerda Andrés Manuel López Obrador, convocou seus apoiadores para um protesto na capital mexicana neste sábado, levando às ruas sua batalha para reverter a aparente vitória de seu rival Felipe Calderón na nas eleições presidenciais. López Obrador pediu aos manifestantes para que sejam pacíficos e obedeçam às leis, mas também advertiu que o governo seria responsável por qualquer inflamação ou revolta depois que os funcionários rejeitaram sua exigência para uma contagem manual dos votos. "Iremos propiciar um canal para a grande revolta que existe entre nossos apoiadores e aqueles que votaram em nós, diante da manipulação das eleições" disse o porta-voz do Partido para Revolução Democrática (PRD), de Obrador. Antes da marcha, López Obrador deverá falar com repórteres estrangeiros.O líder da coalizão de López Obrador, Alberto Anaya, disse que "aqueles que se opõem ao esclarecimento dos resultados eleitorais são aqueles que podem gerar revolta e descontentamento".A embaixada dos Estados Unidos na Cidade do México pediu aos cidadão americanos "que evitem o centro da capital e áreas próximas", durante o protesto, salientando que os estrangeiros são promotoresLópez Obrador continua convencido de que venceu as eleições. Ele possui milhões de seguidores extremamente devotados que seguem religiosamente suas mensagens. O candidato vê o protesto como um meio efetivo de pressionar o governo e os tribunais."A mensagem que ele está enviando é ´eles não me deixaram vencer´, e que o governo é injusto", afirma o analista político Oscar Aguilar Said.Aguilar alega que López Obrador nunca irá reconhecer a estreita vitória do conservador Calderón, o candidato do atual presidente Vicent Fox, do Partido da Ação Nacional (PAN).Apuração Segundo a apuração final, anunciada na quinta-feira, LópezObrador perdeu para Calderón por uma diferença de 244 mil votos, uma margem de 0.6%.O candidato de esquerda afirma que centenas de milhares de votos para ele não foram contabilizados, rasurados ou descartados, e que uma votação manual confirmaria isso.Autoridades eleitorais afirmam que a lei permite tal contagem apenas quando há evidências confiáveis de que houve irregularidades em lugares específicos. Os apoiadores do candidato de esquerda dizem que esta cláusula se aplicaria em pelo menos 50 mil dos aproximadamente 130 mil colégios eleitorais. Protestos O coordenador de campanha Ricardo Monreal afirmou que irá "fazer tudo de forma pacífica e de acordo com a lei". Contudo Lopez Obrador já liderou protestos que acabaram em violência ou confrontos.Em 1996, ele esteve à frente de fazendeiros e pescadores durante invasões de poços petrolíferos do governo para exigir uma compensação pelos danos de um derramamento de óleo.No ano passado, como prefeito da Cidade do México, ele liderou um grande protesto para exigir que Fox demitisse seu promotor chefe e abandonasse um caso que poderia deixá-lo de fora da disputa presidencial por ignorar a ordem de um juiz. Analistas políticos afirmam que Lopez Obrador está em uma posição delicada. Se parecer muito radical, corre o risco de prejudicar seu partido e suas chances nas próximas eleições em 2012 e se parecer muito moderado pode desapontar seus seguidores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.