México: Obrador não aceitará resultado sem recontagem voto a voto

O presidente do principal partido de esquerda do México, o Partido Revolucionário Democrático (PRD), disse nesta quarta-feira que não irá aceitar o resultado da eleição presidencial sem uma recontagem voto-a-voto, intensificando o medo de que uma onda de violência e caos político possa atingir o país.De acordo com a contagem preliminar dos votos do pleito do último domingo, a vantagem do candidato conservador Felipe Calderón, que aparece em primeiro lugar, para o nome do PRD, Andrés Manuel Lopez Obrador, caiu para apenas 0,64 ponto porcentual (ou 257.532 votos) nesta terça-feira. Em uma coletiva de imprensa o presidente do PRD, Leonel Cota, disse que a eleição ocorreu sob ações fraudulentas. Ele acusou as autoridades eleitorais de realizarem a contagem sem atenção, feita somente para consolidar a posição do partido governista, o Partido de Ação Nacional (PAN), e colocar Felipe Calderón no poder.Cota afirmou que López Obrador foi "trapaceado", pois na realidade teria ganho as eleições. Uma contagem preliminar apontava que o esquerdista teria perdido por menos de 1% de diferença.RecontagemAs acusações acontecem no momento em que as urnas de todo país começam a ser recontadas para determinar oficialmente o vencedor. Cota pediu às autoridades eleitorais que façam a recontagem checando cada voto, ao invés de simplesmente verificarem as atas das sessões eleitorais. De acordo com o procedimento padrão adotado pelo Instituto Federal Eleitoral (IFE), a recontagem voto-a-voto só acontece quando um problema é identificado em alguma das sessões.Cota afirmou que seu partido poderá levar o caso para os tribunais internacionais se as cortes eleitorais no México derem a vitória para Calderón.

Agencia Estado,

05 de julho de 2006 | 15h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.