Reuters / Asmaa Waguih
Reuters / Asmaa Waguih

México pede que investigação do atentado a turistas no Egito se aprofunde

Policiais egípcios mataram por engano 12 turistas ao confundir seus veículos com os de terroristas

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 08h25

CIDADE DO MÉXICO - A chanceler do México, Claudia Ruiz Massieu, exigiu do embaixador do Egito no país uma investigação a fundo e uma explicação para o acidente em que um grupo de turistas foi atacado, informou ontem a Chancelaria mexicana. Forças de segurança do país mataram "por engano" pelo menos 12 turistas mexicanos e egípcios, e feriram outros dez, ao confundir os veículos nos quais viajavam com os de terroristas.

A Secretaria de Relações Exteriores (SRE) informou em comunicado que "até o momento, infelizmente foi confirmada a morte de dois cidadãos mexicanos". A Chancelaria está em processo de identificação e confirmação dos nomes dos mortos, disse.

"A Secretaria de Relações Exteriores informa, em relação ao grave incidente ocorrido no Egito em circunstâncias ainda não esclarecidas, que um grupo de turistas, entre os quais há um número indeterminado de mexicanos, foi atacado no deserto a sudoeste desse país", informou o boletim.

A nota ainda acrescentou que o embaixador do México no Egito, Jorge Álvarez Fuentes, e funcionários da embaixada estão no Hospital Dar-el-Fouad, em um subúrbio a oeste do Cairo, atendendo aos mexicanos. Fuentes se encontrou com cinco dos mexicanos internados no hospital que estão em estado de saúde estável.

De acordo com o comunicado, a chanceler mexicana está em contato com o embaixador e ordenou enviar imediatamente para o Egito a diretora de Proteção dos Mexicanos em Exterior da SRE, Reyna Torres, assim como funcionários de embaixadas próximas para apoiar a tarefa de atendimento aos cidadãos e suas famílias.

"Igualmente, a chanceler Claudia Ruiz Massieu esteve em contato com o embaixador do Egito no México e lhe exigiu uma investigação a fundo e uma explicação para os fatos, assim como o apoio das autoridades egípcias aos mexicanos que estão sendo transportados para o Cairo", acrescentou.

O texto assinala que a embaixada do México no Egito e a SRE permanecem em alerta para identificar a situação dos mexicanos afetados. Funcionários do departamento de proteção da Chancelaria já entraram em contato com as famílias para informá-las sobre a situação das vítimas.

"A SRE reitera seu compromisso de realizar todos os esforços necessários para atender aos mexicanos afetados neste lamentável fato. A Chancelaria manterá informados os familiares e a opinião pública em geral." /EFE

Mais conteúdo sobre:
atentado México Egito turistas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.