México planeja ampliar operação antidrogas no país

O governo mexicano vai ampliar para todos os Estados do país uma operação antidrogas que inclui o uso de milhares de soldados e forças de segurança, em uma cruzada contra os violentos cartéis da droga que deixaram nove mil mortos nos últimos seis anos. O novo presidente, Felipe Calderón, que completou na segunda-feira um mês no cargo, tinha lançado em dezembro uma operação no Estado de Michoacán, um dos mais castigados nos últimos meses pela violência do narcotráfico. A operação foi ampliada na terça-feira para a cidade de Tijuana, na fronteira com os Estados Unidos e sede do violento cartel da família Arellano Félix. "Não permitiremos que nenhum Estado seja refém do narcotráfico, do crime organizado ou da delinqüência comum", disse o secretário de Gobernación, Francisco Ramírez Acuña, em entrevista à imprensa. Os assassinatos ligados às disputas entre grupos de tráfico e enfrentamentos com a polícia e militares para expandir seus territórios somaram mais de dois mil somente no ano passado, segundo um relatório que autoridades entregaram a deputados e publicado na terça-feira pelo jornal El Universal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.