Mario Tama/Getty Images/AFP
Mario Tama/Getty Images/AFP

México planeja processar autor de ataque no Texas por 'terrorismo'

Seis cidadãos mexicanos morreram e sete ficaram feridos no massacre em um centro comercial do Texas no último sábado, 3

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de agosto de 2019 | 03h28

CIDADE DO MÉXICO - O governo do México disse neste domingo, 4, que planeja apresentar um processo por terrorismo contra o autor do ataque realizado em El Paso, no Texas, que deixou 20 mortos, entre eles seis mexicanos. A solicitação de extradição do assassino também está sendo estudada. 

"Estivemos em contato com a Promotoria Geral da República para obter todas as informações necessárias. Se ficar decidido, vamos abrir uma denúncia por terrorismo", disse o ministro de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard. Ele confirmou que seis cidadãos mexicanos morreram e sete ficaram feridos e disse que será "o primeiro processo da história dessa natureza" no país.

Segundo o ministro, "o processo permitirá que o México tenha acesso a toda a informação correspondente para avaliar se há outros indivíduos potencialmente envolvidos e que ponham em risco a vida de mexicanos nos Estados Unidos".

Ebrard informou que será feita uma avaliação para saber se há elementos suficientes para que a Promotoria mexicana possa pedir a "extradição do autor ou dos autores dos fatos". "É uma decisão que será tomada no momento certo, mas que ninguém estranhe porque, para o México, o indivíduo é um terrorista", disse o ministro.

O governo tinha anunciado que tomaria "medidas legais" contra o responsável pela venda da arma usada durante o ataque "para ver como foi vendida" e saber se o comerciante sabia das intenções do autor do ataque. "Acreditamos que o tema das armas é crucial e, agora, infelizmente, isso aconteceu em território americano", disse Ebrard, que apelou para que sejam tomadas "ações legais correspondentes em matéria de armas".

O país entregará ainda uma nota diplomática ao governo americano para que "assuma uma posição clara e contundente contra os crimes de ódio".

Patrick Crusius foi detido pelas autoridades americanas como responsável pelo ataque realizado em um shopping de El Paso, cidade que faz fronteira com o México. A polícia investiga o caso como "crime de ódio" contra a comunidade latina.

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, lamentou a morte cidadãos de seu país. "Infelizmente, seis mexicanos perderam a vida e há sete feridos." Além disso, afirmou ter pedido a Ebrard para agir de forma responsável para não afetar o processo eleitoral dos Estados Unidos. "Não queremos nos intrometer em assuntos internos de outro país", afirmou.

Após saber do ataque, o presidente mexicano elogiou a "convivência fraterna" que existe entre El Paso e a mexicana Cidad Juárez. "Isso é produto da decomposição, dos problemas que certas pessoas têm. Não é um assunto generalizado. Pode ser que me engane, mas El Paso é das cidades mais tranquilas dos Estados Unidos", opinou Obrador. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.