México reforça segurança após ataque do narcotráfico

O governo do México mais do que quadruplicou a presença de policiais no Estado de Michoacán depois de um cartel do narcotráfico ter matado no fim de semana 20 policiais e soldados no mais arrojado ataque já realizado contra o governo. O país enviou hoje mil agentes federais para o Estado, no oeste do país, elevando o efetivo para 1.300 policiais, informou a porta-voz do Departamento de Segurança Pública, Veronica Penunuri. Eles serão apoiados por pelo menos três helicópteros Black Hawk e três veículos blindados. Os ataques ocorridos no fim de semana foram um desafio ao presidente Felipe Calderón, que enviou cerca de 45 mil soldados e dezenas de milhares de policiais federais para todo o país numa tentativa de combater o tráfico de drogas.

AE-AP, Agencia Estado

16 de julho de 2009 | 15h06

O cartel La Familia lançou a ofensiva coordenada em Michoacán e em dois Estados vizinhos poucos minutos depois da prisão de seu chefe de operações, Arnoldo Rueda. No pior ataque, 12 agentes federais foram executados e seus corpos acabaram empilhados ao longo de uma rodovia como uma advertência. Seis policiais federais e dois soldados foram mortos em outros ataques. Calderón afirma que a vingança pela captura de Rueda prova que o cartel foi atingido, mas críticos do governo dizem que a ação revela o quanto as forças federais estão vulneráveis às organizações criminosas.

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicomegaoperaçãonarcotráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.