México terá novas medidas contra lavagem de dinheiro

O presidente do México, Felipe Calderón, anunciou hoje um pacote de medidas com o objetivo de combater a lavagem de dinheiro e o financiamento do terrorismo e, assim, prejudicar as finanças do crime organizado.

AE-AP, Agência Estado

26 de agosto de 2010 | 19h43

O Congresso, onde o opositor Partido Revolucionário Institucional (PRI) tem maioria, terá de aprovar modificações em algumas leis para que as medidas sejam colocadas em prática, razão pela qual o presidente pediu apoio para as reformas.

"Hoje, mais do que nunca, é inadiável tomar medidas e contar com instrumentos que permitam atingir os criminosos onde são mais vulneráveis, em suas finanças", disse. "É um momento chave, de cerrar fileiras e entender que os inimigos são os criminosos", acrescentou.

Estima-se que a cada ano cerca de US$ 10 bilhões em dinheiro ligado ao tráfico de drogas circulem pelo México, o que permite que os cartéis corrompam funcionários, adquiram armas e atuem na ilegalidade.

As medidas anunciadas por Calderón incluem a proibição de compra com dinheiro vivo de imóveis, carros, aviões, embarcações e joias com valor superior a US$ 100 mil, além da obrigação das casas de apostas, de câmbio, instituições de crédito, empresários e encarregados do transporte de valores e blindagens de relatarem a ocorrência de transações suspeitas.

Outro objetivo do governo é melhorar os serviços de inteligência e a coordenação e comunicação com organismos internacionais. O presidente disse que haverá contato direto entre as alfândegas de todo o país com as autoridades federais e serão fortalecidos os mecanismos para detectar o traslado de dinheiro vivo em portos e nas rodovias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.