Guadalupe Pérez / Reuters
Guadalupe Pérez / Reuters

México usará drones para proteger ovos de tartaruga

Segundo as autoridades, equipamento permitirá localizar com rapidez os saqueadores dos ninhos

O Estado de S. Paulo

21 de agosto de 2015 | 04h00

CIDADE DO MÉXICO - As autoridades mexicanas começaram ontem a utilizar drones para sobrevoar os ninhos de tartarugas na costa do Pacífico e, assim, monitorar e proteger os delicados habitats.

Os drones vão monitorar as praias de La Escobilla e Morro Ayuta, no Estado de Oaxaca, para combater os caçadores que traficam os ovos das tartarugas, disse ontem o procurador federal de proteção ambiental, Guillermo Haro Belchez.

Agosto marca a temporada de desova das tartarugas, protegidas pelas leis mexicanas. Em La Escolvilla se produz a maior desova do mundo, com 1,1 milhão de ninhos apenas no ano passado, quando nasceram 36 milhões de tartarugas no México.

O México resforçará especialmente a proteção dos ovos da tartaruga oliva, em perigo de extinção, que desova nas costas do sul e do oeste do território.

"Com os drones aumentaremos o esforço de inteligência para proteger a tartaruga oliva nas praias de Oaxaca e Michoacán", informou a Procuradoria de Proteção do Meio Ambiente em um comunicado. Segundo o órgão, os drones permitirão "localizar com mais rapidez" os traficantes dos ovos de tartaruga.

A procuradoria disse que já foram detectados saqueadores de ovos da tartaruga oliva ao longo de 35 quilômetros dessa zona. Anualmente, centenas de pessoas desenterram milhares de ovos para serem contrabandeados para consumo humano. Elas ganham US$ 59 por 3 mil ovos, que são considerados afrodisíacos. / AP e AFP

Tudo o que sabemos sobre:
Méxicodronesovostartarugas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.