Mianmar condena Nobel da Paz por violar prisão domiciliar

Pena de trabalhos forçados acabou transformada em prisão domiciliar depois que ela declarou-se culpada

Efe,

11 de agosto de 2009 | 04h05

A líder da oposição birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, foi declarada culpada e condenada a três anos de trabalhos forçados pela Justiça de Mianmar, nesta terça-feira, 11, por ter quebrado os termos da prisão domiciliar.

 

Após ser declarada culpada, a Junta Militar, presidida pelo general Than Shwe, decidiu atenuar a pena imposta à Nobel da Paz, que deverá ficar reclusa em sua casa, em Yangun, durante um ano e meio.

 

Americano é condenado a trabalhos forçados

 

O americano John Willian Yettaw, que violou os termos da prisão domiciliar que a líder opositora birmanesa e Nobel da Paz, Aung San Suu Kyi, cumpria, foi condenado nesta terça-feira, 11, a sete anos de prisão em Mianmar, incluindo quatro de trabalhos forçados.

Tudo o que sabemos sobre:
MianmarNobel

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.