United Nations TV via REUTERS
United Nations TV via REUTERS

Mianmar demite embaixador do país na ONU

Kyaw Moe Tun havia pedido em Assembleia Geral que organização usasse 'todos os meios necessários' para reverter golpe militar

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2021 | 13h07

BANGCOC - O embaixador de Mianmar na ONU, Kyaw Moe Tun, foi demitido, disse a televisão estatal neste sábado, 27, um dia depois de ele ter instado as Nações Unidas a usar "todos os meios necessários" para reverter o golpe militar de 1º de fevereiro.

Kyaw Moe Tun disse à Assembleia Geral da ONU que estava falando em nome do governo civil deposto da líder eleita Aung San Suu Kyi.

A televisão estatal, MRTV, disse que ele "traiu o país e falou em nome de uma organização não oficial que não representa o país e abusou do poder e das responsabilidades de um embaixador".

Forças armadas depuseram o governo eleito de Mianmar há três semanas, devolvendo o país ao regime militar após uma experiência quase democrática de uma década.  Desde então, os militares detiveram mais de 400 pessoas, incluindo a líder civil Aung San Suu Kyi e o presidente - agora deposto - Win Myint, acusando-os de pequenas infrações para mantê-los presos. O golpe foi condenado pela comunidade internacional, incluindo os Estados Unidos, que impôs algumas sanções.

Os militares justificaram o golpe alegando fraude em uma eleição de 8 de novembro em que a Liga Nacional pela Democracia teve uma ampla vitória. No entanto, nem a comissão eleitoral nacional nem os observadores internacionais corroboraram as denúncias das Forças Armadas. O golpe aconteceu no dia em que os deputados eleitos tomariam posse. /REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.