Mianmar quase dobra número de mortos por ciclone para 78 mil

Militares anunciam que pelo menos 56 mil pessoas estão desaparecidas; chuvas agravam crise humanitária

Agências internacionais,

16 de maio de 2008 | 11h41

A TV estatal de Mianmar anunciou nesta sexta-feira, 16, que pelo menos 78 mil pessoas morreram pela passagem do ciclone Nargis e outras 56 mil ainda estão desaparecidas. O novo saldo é quase o dobro dos últimos números anunciados pelos militares que governam o país, que afirmou que pelo menos 43 mil teriam morrido.   Veja também:   Nova tempestade agrava drama dos sobreviventes   ONU tenta impedir que pais vendam seus filhos em Mianmar   Na quarta-feira, a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho estimou que o número final de mortos deveria ficar entre 68.833 e 127.990. A Organização das Nações Unidas (ONU) e a Cruz Vermelha alertam que entre 1,6 milhão e 2,5 milhões de pessoas precisam urgentemente de água, comida e abrigo. Pelos cálculos de grupos humanitários, a ajuda enviada até o momento é suficiente para atender a apenas 270.000 flagelados.   A região devastada há duas semanas pelo Nargis sofreu nesta sexta com novas chuvas torrenciais que dificultam ainda mais as tarefas de resgate dos quase 2,5 milhões desabrigados, segundo dados das Nações Unidas. Espera-se que as chuvas voltem a inundar o delta do rio Irrawaddy, a região mais devastada pelo ciclone e que permanece com vastas áreas isoladas.   A ONU advertiu há dois dias para a possibilidade de que outro ciclone tropical se forme no norte do mar de Andaman, e que entraria nesta sexta no sul de Mianmar, mas não forneceu mais detalhes. A Organização Meteorológica Mundial prevê fortes chuvas até o fim de semana na região.

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarciclone Nargis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.