Michael Jackson tinha saúde boa, indica autópsia

Um relatório de autópsia obtido pela agência "Associated Press" mostra que Michael Jackson não era o homem magro e doente descrito pelos tabloides quando morreu. O documento diz que os braços de Jackson estavam cobertos de perfurações, seu rosto e pescoço tinham cicatrizes e suas sobrancelhas e lábios eram tatuados, mas que, no geral, ele era um homem de 50 anos razoavelmente saudável.

AE-AP, Agencia Estado

01 de outubro de 2009 | 14h47

Os 62 quilos do cantor eram compatíveis com sua altura de 1 metro e 75 centímetros e seu coração era forte. Ele tinha um pouco de artrite e alguns problemas de pulmão, o que pode ter causado alguma falta de ar. Mas o relatório diz que nenhuma desses problemas eram uma ameaça à sua saúde do cantor e que o pop star morreu por causa do potente anestésico que seu médico deu a ele para dormir.

Tudo o que sabemos sobre:
Michael Jacksonsaúdemorteautópsia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.