Micheletti aceita acordo que pode reconduzir Zelaya

O presidente de facto de Honduras, Roberto Micheletti, ordenou que sua equipe de negociadores assinasse um acordo que pode levar à recondução do presidente deposto, Manuel Zelaya, mas que deixa a decisão nas mãos da Suprema Corte e do Congresso. "Tenho a satisfação de anunciar que há poucos minutos minha equipe de negociação assinou um acordo que marca o começo do fim do impasse de quatro meses", disse Micheletti, num comunicado transmitido do palácio presidencial no fim da noite de quinta-feira.

AE-AP/DOW JONES, Agencia Estado

30 de outubro de 2009 | 05h02

O acordo, segundo o presidente de facto, criaria um governo conjunto e vincularia ambos os lados ao reconhecimento das eleições presidenciais de 29 de novembro. Os negociadores que representam Zelaya não disseram se pretendem assinar o acordo, que Micheletti chamou de uma "concessão significativa" da sua parte.

Mas o acordo parece conter o mesmo ponto que emperrou conversas anteriores: a Suprema Corte já rejeitou o retorno de Zelaya. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Hondurasgolpeacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.