Micheletti aceita renúncia se Zelaya desistir de retorno

O governo de facto de Honduras apresentou hoje uma nova proposta para a retomada do diálogo com o presidente deposto, Manuel Zelaya. Pela nova proposta, o presidente interino Roberto Micheletti aceita deixar o cargo se Zelaya também "desistir de suas pretensões (de retornar à presidência para terminar seu mandato), dando lugar a um governo de transição".

AE-AP, Agencia Estado

23 de outubro de 2009 | 19h38

A oferta veio à tona horas depois de a delegação de Zelaya ter se retirado da mesa de negociações. A proposta foi lida hoje pela negociadora Vilma Morales, em Tegucigalpa. A outra opção é que o regresso de Zelaya seja "decidido pelo Congresso mediante solicitação" que deverá ser apresentada pelo próprio presidente deposto ao Poder Legislativo.

Víctor Meza, representante de Zelaya, disse que a proposta ainda não foi apresentada formalmente e, por isso, não manifestou opinião. Mais cedo, Zelaya, chegou a dar por encerrado o diálogo iniciado há 22 dias. O anúncio do fracasso foi feito por Meza, coordenador da comissão negociadora de Zelaya, depois de vencido o prazo estabelecido pelo líder deposto para que os golpistas permitissem que o Congresso decidisse sobre sua restituição ao poder.

Zelaya está abrigado há mais de um mês na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa, depois de ter retornado clandestinamente a Honduras. O principal ponto da discórdia entre os negociadores é a restituição do presidente deposto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.