Micheletti diz que pretende restaurar direitos civis

O presidente de facto de Honduras, Roberto Micheletti, afirmou hoje que consultará seu gabinete a fim de revogar um decreto que restringe as liberdades civis no país. "É minha decisão rescindir o decreto, mas nós tomaremos a decisão hoje com o conselho de ministros", disse ele, em entrevista a uma emissora de televisão hondurenha.

AE, Agencia Estado

05 de outubro de 2009 | 11h23

Micheletti impôs um decreto suspendendo a liberdade de assembleias e de manifestação em 27 de setembro. O líder de facto utilizou esse texto para fechar dois veículos de comunicação de oposição e para impedir protestos de partidários do presidente deposto, Manuel Zelaya.

Derrubado em um golpe militar no dia 28 de junho, Zelaya voltou ao país em 21 de setembro e, desde então, está abrigado na Embaixada do Brasil em Tegucigalpa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseMichelettidireitos civis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.