Micheletti quer falar com Arias antes de receber OEA

O governo de facto de Honduras pediu ontem para que a Organização dos Estados Americanos (OEA) retarde o envio de uma delegação ao país, informou o jornal local "La Tribuna". Segundo o diário, a administração do presidente Roberto Micheletti gostaria de receber primeiro o presidente da Costa Rica, Oscar Arias, que já estava anteriormente envolvido nas negociações.

AE, Agencia Estado

25 de setembro de 2009 | 09h31

Arias deve estar acompanhado em sua visita a Tegucigalpa do vice-presidente do Panamá, Juan Carlos Varela. O governo Micheletti disse que aceitou receber a dupla atendendo a um pedido do ex-presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, que telefonou para o presidente de facto. Em seu site na internet, o "La Prensa" afirma que, segundo a chancelaria hondurenha, a chegada da delegação liderada por Arias ocorrerá "nos próximos dias".

O presidente da Costa Rica mediou o chamado Acordo de San José, uma tentativa fracassada para encerrar a crise que previa a volta de Zelaya ao poder a fim de cumprir o restante de seu mandato. Micheletti e seus aliados rechaçam o retorno do presidente deposto ao cargo.

Inicialmente, a delegação da OEA, da qual devem fazer parte o secretário-geral da entidade, José Miguel Insulza, e alguns ministros de Relações Exteriores, chegaria a Tegucigalpa no fim de semana. Não houve ainda declaração da OEA sobre o pedido do governo de facto. A intenção das delegações é mediar uma solução para a crise hondurenha.

Deposto em 28 de junho e expulso do país, o presidente eleito Manuel Zelaya voltou a Honduras e, desde segunda-feira, está abrigado na Embaixada do Brasil. Ontem, os dois lados se comprometeram a dialogar por uma solução para a crise.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurascriseMichelettiArias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.