SAUL LOEB / AFP
SAUL LOEB / AFP

'Michelle Obama parece do elenco do Planeta dos Macacos', diz apresentador de TV

Rodner Figueroa acabou demitido pela TV Univisión após comentário racista

O Estado de S. Paulo

13 Março 2015 | 09h36

MIAMI, EUA - Um apresentador da TV Univisión, uma das principais redes hispânicas nos Estados Unidos, foi demitido depois de fazer um comentário racista sobre a primeira-dama americana, Michelle Obama.

Na quarta-feira, 11, durante o programa “El Gordo y la Flaca”, Rodner Figueroa disse que a mulher do presidente americano, Barack Obama, parecia personagem do filme O Planeta dos Macacos. “Michelle Obama parece do elenco de O Planeta dos Macacos”, declarou Figueroa ao mostrar várias imagens da primeira-dama americana. Ele disse ainda que a transformação estética de Michelle nos últimos anos foi inspirada nessa “franquia cinematográfica”.

Menos de 24 horas depois, a Univisión anunciou ter demitido o apresentador por ter feito comentários racistas em relação a Michelle. “Figueroa fez comentários sobre a primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, que foram completamente reprováveis e de nenhuma forma refletem os valores ou opiniões da Univisión”, disse um comunicado emitido na quinta-feira, 12, pela rede de televisão.

A própria Casa Branca teria se comunicado com a rede de TV pedindo explicações sobre o comentário racista do apresentador.

O apresentador pediu desculpas a Michelle por sua "falta de juízo", mas negou que seja "racista". Na quinta-feira, 12, em carta aberta à primeira-dama americana, Figueroa negou ser racista e explicou que seu comentário foi "mal interpretado" e não era dirigido a ela, mas ao trabalho de seu maquiador, que segundo ele, "deixava muito a desejar". "Sou responsável por essa falta de juízo da minha parte, mas não posso aceitar ser tachado de racista por ninguém e ser despedido como tal, e humilhado publicamente pela Univisión após 17 anos nesta empresa", acrescentou o apresentador.

Figueroa se referiu ainda à sua origem afrolatina e a sua orientação sexual, como o primeiro apresentador abertamente homossexual da televisão latina, para defender que foi um "ativista de causas em prol das minorias". Nesse sentido, destacou sua admiração pelo presidente Barack Obama, e afirmou que votou nele duas vezes por ser um "grande homem, que respeita as minorias". O apresentador explicou que foi notificado verbalmente sobre sua demissão por uma "queixa" do escritório da primeira-dama. / EFE e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.