Microblogs chineses censuram a palavra 'Egito'

Apesar disso, a imprensa oficial chinesa, fez matérias a respeito dos protestos que exigem a renúncia do presidente egípcio

Agência Estado

29 de janeiro de 2011 | 11h34

PEQUIM - A palavra ''Egito'' foi censurada por vários sites de microblogs na China, onde o Partido Comunista está preocupado com demandas da população por reformas políticas e democracia.

Nos sites sina.com e no sohu.com, os equivalentes chineses ao Twitter (que está censurado na China), uma consulta com a palavra ''Egypt'' retorna com a resposta: "De acordo com as leis vigentes, os resultados de sua pesquisa não podem ser divulgados." Ambos os sites têm cerca de 50 milhões de usuários.

Apesar disso, a imprensa oficial chinesa, incluindo a agência Xinhua e a rede de televisão CCTV, fez matérias a respeito dos protestos que exigem a renúncia do presidente egípcio, Hosni Mubarak.

A censura é generalizada na China, em uma tentativa de evitar críticas ao governo ou levantar questões a respeito de direitos humanos. Pequim monitora de perto os cerca de 450 milhões de usuários de internet no país para evitar a organização de grupos dissidentes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaEgitocensura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.