Microchip contra seqüestros no México

A partir de 2004, muitos mexicanos poderão adotar uma nova arma de segurança: o VeriChip, um microchip aplicado sob a pele que permitirá à polícia localizar vítimas de seqüestros e raptos. "Pelos índices de insegurança no país, muita gente vai colocar o chip", avaliou Antonio Aceves, diretor-geral da Solusat, a empresa que comercializará o produto. As estimativas do empresário fazem sentido. Entre 1992 e 2002, o México registrou mais de 15 mil seqüestros - um dos índices mais altos do mundo. De acordo com a Applied Digital Solutions uma empresa da Flórida (EUA) que criou o VeriChip, o aparelho, denominado Dispositivo de Localização Pessoal (DLP), tem 7 milímetros de diâmetro (o tamanho médio de um grão de arroz) e será acoplado a um modem e a uma bateria. Tais equipamento permitirão à polícia detectar a localização da vítima com a ajuda de um satélite. A aplicação do chip é feita através de um implante sob a pele do braço, com anestesia local. O preço de todos os equipamentos deve variar entre o equivalente a US$ 10 mil e US$ 20 mil. Trata-se da mesma tecnologia já utilizada por vários países para localizar cachorros e gatos perdidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.