Mídia britânica alerta para risco de prisões

O jornal britânico The Guardian alertou ontem que a regulação à imprensa da Grã-Bretanha proposta na quinta-feira pelo magistrado responsável por um relatório que constatou violações cometidas por jornais poderia abrir caminho para a prisão de jornalistas no país. A investigação foi desencadeada pelo escândalo das escutas telefônicas que resultou na extinção do tabloide News of the World, de Rupert Murdoch.

LONDRES, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2012 | 02h06

Segundo o Guardian, o rechaço do primeiro-ministro David Cameron à criação de um órgão de fiscalização à imprensa na Grã-Bretanha fez com que duas testemunhas da investigação judicial - Gerry McCann, pai da menina Madeleine, que desapareceu em 2007 em Portugal; e Christopher Jeffries, preso erroneamente por um assassinato - rejeitassem um encontro com a secretária de Cultura britânica, Maria Miller. O juiz Brian Leveson quer que o organismo seja composto por pessoas - que não sejam jornalistas - com o poder de aplicar severas multas contra infratores da ética da mídia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.