KCNA / KNS / AFP
KCNA / KNS / AFP

Mídia norte-coreana permanece em silêncio sobre estado de saúde do líder Kim Jong-un

Nesta quarta-feira, 22, como de costume, veículo estatal apresentou propagandas e relatórios de rotina das realizações do ditador

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2020 | 04h42

SEUL - A mídia estatal norte-coreana não mencionou o estado de saúde ou paradeiro do líder Kim Jong-un, nesta quarta-feira, 22, um dia após intensa especulação de veículos americanos de que ele estaria gravemente doente após uma cirurgia cardiovascular.

A mídia norte-coreana apresentou propagandas, como de costume, e relatórios de rotina das realizações de Kim, publicando suas citações mais antigas ou sem data sobre questões como a economia do país, por exemplo.

Autoridades chinesas questionaram e as sul-coreanas minimizaram os relatos sobre a saúde do ditador, enquanto a Casa Branca disse que estava monitorando de perto o assunto.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, desejou na terça-feira "o melhor" ao dirigente norte-coreano, enfatizando que os rumores sobre seus possíveis problemas de saúde não foram confirmados. "Desejo-lhe o melhor", disse Trump à imprensa na Casa Branca, destacando seu "bom relacionamento" com o líder da Coreia do Norte. 

Jong-un foi visto pela última vez na mídia estatal no dia 11 de abril. O ditador não participou da comemoração do aniversário de seu avô, Kim Il-sung, um feriado nacional, na última semana, o que havia levantado especulações sobre seu estado de saúde.

O Daily NK, site especializado administrado principalmente por opositores do governos norte-coreano, citou fontes não identificadas dentro do país, que afirmaram que Kim estava se recuperando em uma casa de campo no condado de Hyangsan, no Monte Kumgang, na costa leste, depois de fazer uma cirurgia no dia 12 de abril em um hospital da região. A saúde de Kim se deteriorou nos últimos meses devido ao fumo intenso, obesidade e excesso de trabalho, disse o relatório do Daily NK.

Thae Yong Ho, um ex-vice-embaixador norte-coreano em Londres que foi para a Coreia do Sul em 2016, disse que o silêncio prolongado da mídia estatal norte-coreana é incomum porque costuma ser rápida em dissipar informações sobre o status de sua liderança. "Toda vez que há controvérsia sobre (Kim), a Coreia do Norte entra em ação dentro de dias para mostrar que ele está vivo e bem", disse ele em comunicado./ Reuters

Para Entender

'Aliança do Avestruz' - Quem são os autocratas que negam a pandemia?

Líderes de Nicarágua, Turcomenistão e Bielo-Rússia sofrem crítica interna incomum por ditar ordens contra isolamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.