Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters

Migrantes que pedirem asilo devem permanecer no México até decisão, diz Trump

Presidente disse que cada pedido será avaliado individualmente pela Corte e, se necessário, fechará a fronteira

O Estado de S. Paulo

25 Novembro 2018 | 02h22

WASHINGTON – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que os migrantes que estiverem na fronteira sul do país e pedirem asilo para o governo devem permanecer no México até que se tome uma decisão.

“Cada pedido será avaliado individualmente pela Corte. Permitiremos a entrada apenas daqueles que vierem legalmente”, escreveu no Twitter. “Caso contrário, nossa política é capturar e deter. E, se for necessário, fecharemos a fronteira sul. ”

 Caso essa promessa de Trump se concretize, a medida significará uma vitória para a administração, uma vez que o norte-americano pretende endurecer as condições para a obtenção de asilo. Atualmente, as pessoas podem permanecer nos Estados Unidos até o pedido ser julgado.

A declaração de Trump é interpretada como uma sinalização ao México a um acordo bilateral, segundo reportagens do Washington Post. De acordo com o jornal, a equipe do presidente eleito do México, Andrés Manuel López Obrador, havia chegado ao entendimento de que os migrantes permanecessem no país até que os Estados Unidos avaliassem os pedidos.

 “É uma solução de curto prazo. A médio e longo prazo, a solução é que as pessoas deixem de migrar”, afirmou ao Washington Post a futura ministra do Interior, Olga Sánchez Cordero. Mais tarde, porém, Cordero negou a existência de qualquer acordo entre os dois países.

Nas últimas semanas,  mais de 5 mil migrantes - em sua maioria hondurenhos -  chegaram à cidade mexicana de  Tijuana, na fronteira com San Diego, na Califórnia. A intenção é cruzar a fronteira para fugir da pobreza e violência. Os abrigos mexicanos já enfrentam uma superlotação, e a expectativa é a de que outros 1,5 mil cheguem nos próximos dias. /AFP e NYT

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.