Mil argentinos protestam contra fábrica de celulose no Uruguai

Mil moradores da cidade argentina de Gualeguaychú participaram neste domingo de uma mobilização "por terra e por água" em direção à ponte fronteiriça com a localidade uruguaia Fray Bentos, para expressar sua rejeição à instalação de uma fábrica de celulose no país.Um grupo de manifestantes marchou em direção à ponte San Martín, enquanto outros moradores abordaram cerca de 15 embarcações, entre botes e lanchas, e se dirigiram em direção às imediações da fábrica de celulose que está sendo construída no Uruguai pela empresa finlandesa Botnia.Com cartazes com a frase "Não à Botnia", as embarcações cruzaram o rio Uruguai, limite natural entre os dois países, que mantêm uma disputa pela instalação da fábrica, considerada de risco para o meio ambiente pela Argentina e apoiada pelo Uruguai.O protesto aconteceu durante o bloqueio "por tempo indeterminado" que integrantes da Assembléia Ambiental de Gualeguaychú organizam desde 20 de novembro na passagem fronteiriça que liga a Argentina com Fray Bentos, um dos três pontos que unem os dois países.Os manifestantes também jogaram pequenos aviões de papel para "demonstrar qual é a força" dos moradores de Gualeguaychú, em uma resposta irônica à decisão do Uruguai de estabelecer uma custódia militar na fábrica de Botnia, informou a secretária da Assembléia, Marta Gorosperrazú.Além da manifestação em Gualeguaychú, localizada na província de Entre Ríos, diferentes protestos acontecem nas cidades de Colón e Concordia, que fazem ligação com as uruguaias Paysandu e Salto, respectivamente.Está prevista para a próxima quinta-feira um reunião entre o governador da província argentina de Entre Ríos, Jorge Busti, e o intendente de Fray Bentos, Omar Lafluf, com o propósito de "reiniciar o diálogo" entre as duas nações.Enquanto isso, moradores de Gualeguaychú participarão na próxima terça-feira de uma manifestação na Praça de Maio, em Buenos Aires, junto a grupos ecologistas de todo o país para reivindicar o fim de "os problemas ecológicos da Argentina", afirmou Gustavo Rivolier, coordenador da assembléia.Em Fray Bentos, a empresa espanhola Ence tinha previsto construir outra fábrica de celulose, mas recentemente anunciou que a transferirá a outra zona do Uruguai ainda não definida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.