Mil iraquianos foram mortos em horas, diz general

O general Buford Blount, comandante da 3ª Divisão de Infantaria dos EUA, disse que a coalizão anglo-americana matou 1.000 combatentes iraquianos em 72 horas, durante choques pelo controle da cidade de Najaf, a 160 quilômetros de Bagdá.Mas, em Washington, o Departamento de Defesa evitou estabelecer com exatidão hoje o número de iraquianos mortos na véspera, num combate entre Najaf e Kerbala. A porta-voz do Departamento de Defesa, Victoria Clarke, disse apenas que "centenas" de inimigos tinham sido mortos depois de terem atacado com granadas o 7º Regimento de Cavalaria. Washington também informou não ter havido nenhuma baixa entre as forças da coalizão.Logo depois do violento combate de terça-feira, fontes americanas haviam indicado que entre 150 e 500 iraquianos tinham sido mortos, na batalha mais sangrenta da guerra, que completa sua primeira semana.Segundo o Pentágono, as tropas americanas e britânicas da Operação Liberdade Iraquiana fizeram "um grande progresso" em seu avanço na direção de Bagdá. Para reforçar o contingente de tropas de terra no Iraque, chegarão ao Golfo até o fim da semana 14 mil soldados da 4ª Divisão de Infantaria, de Fort Hood, no Texas.Além da capital, Bagdá, os ataques da coalizão atingiram ontem também Mosul, Chamchamal e Kirkuk (no norte). Em Basra, soldados britânicos continuam lutando para controlar a cidade. Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.