Milhares acompanham funeral de presidente polonês

Alguns dos principais líderes globais não puderam comparecer ao funeral, depois que a erupção de um vulcão na Islândia provocou o fechamento dos principais aeroportos na Europa

AE-AP, Agência Estado

18 de abril de 2010 | 12h31

Homenagem. Cerca de 150 mil pessoas estavam em Cracóvia e nas proximidades da cidade para acompanhar o funeral. Foto: Fabrizio Bensch/Reuters

 

CRACÓVIA - Milhares de pessoas acompanharam neste domingo, 18, o funeral do presidente polonês Lech Kaczynski e de sua esposa, Maria, na Cracóvia, sul da Polônia. O presidente, a primeira-dama e outras 94 pessoas morreram em um acidente aéreo ocorrido há uma semana na Rússia.

Segundo estimativas da polícia polonesa, cerca de 150 mil pessoas estavam em Cracóvia e nas proximidades da cidade para acompanhar o funeral.

Os corpos de Lech e Maria Kaczynski chegaram à cidade no domingo de manhã, vindos de Varsóvia. Uma missa foi rezada na Basílica de Santa Maria e depois os corpos foram transportados pela cidade antiga em direção à catedral de Wawel, onde são sepultados monarcas, poetas e estadistas poloneses.

Alguns dos principais líderes globais não puderam comparecer ao funeral, depois que a erupção de um vulcão na Islândia provocou o fechamento dos principais aeroportos na Europa.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, seu colega francês, Nicolas Sarkozy, e a chanceler alemã, Angela Merkel, foram alguns dos líderes que não puderam comparecer à cerimônia.

"O povo francês estará com o povo polonês em pensamento", disse Sarkozy em uma carta entregue ao presidente interino Bronislaw Komorowski.

O presidente russo, Dmitry Medvedev, conseguiu voar de Moscou até a Cracóvia. Sua presença foi vista como um sinal de relações cada vez mais estreitas entre os dois países, depois de séculos de desgastes.

Tudo o que sabemos sobre:
PolôniaLech Kaczynskifuneral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.