Milhares de cédulas das eleições italianas desaparecem na Suíça

Mais de 30 mil cédulas eleitorais depositadas na Suíça, correspondentes às eleições realizadas na Itália desapareceram, segundo o senador italiano Gino Tremattera, da coalizão de direita liderada por Silvio Berlusconi, informou nesta quarta-feira o jornal La Tribune de Genève. "Não sabemos o que ocorreu com essas cédulas. Não sabemos se foram perdidas ou roubadas na Suíça ou na Itália", disse Tremattera. Os italianos residentes na Suíça compareceram, entre os dias 9 e 10 de abril, às urnas instaladas nos consulados do país e, segundo o jornal, "188.600 cédulas foram levadas a Roma, mas lá chegaram 158 mil". O jornal suíço Le Temps informou que há, na Suíça, mais de meio milhão de italianos estabelecidos, e que entre eles 375 mil têm direito a voto. Na Itália, a coalizão de centro-esquerda União, liderada por Romano Prodi, obteve a vitória final nas eleições, mais de 24 horas após uma angustiante apuração, onde o voto dos residentes no exterior foi decisivo. No final da tarde de terça-feira, o Ministério do Interior divulgou os resultados definitivos do Senado, onde a aliança de Prodi obteve 158 cadeiras, enquanto a Casa da Liberdade, de Silvio Berlusconi, ficou com 156. A União também venceu o pleito para a Câmara dos Deputados por uma diferença de apenas 25.224 votos que, no entanto, lhe garante a maioria absoluta nessa casa legislativa.

Agencia Estado,

12 Abril 2006 | 06h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.