Milhares de chilenos protestam contra visita de Bush

Milhares de manifestantes marcharam pelas ruas do centro da capital do Chile contra uma cúpula de líderes da região do Pacífico e, mais especificamente, contra o presidente dos EUA, George W. Bush, e a guerra no Iraque. A mídia local estima o número de manifestantes em, no mínimo, 15.000 pessoas. Os organizadores do protesto falam em 30.000. A passeata, autorizada pelo governo, ocorre longe do centro de conferências que hospeda o Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC, na sigla em inglês).Alguns manifestantes diziam protestar contra a APEC, que segundo eles é um clube de ricaços que não faz nada pelos pobres, mas boa parte da ira da multidão era dirigida contra Bush e a guerra. O presidente dos EUA deve chegar ao Chile ainda hoje. Cartazes dizem "Bush, você fede" e "Bush terrorista", enquanto os manifestantes gritavam "O Chile não está à venda!" e "Bush, fascista, ladrão, assassino!". Não há informação de violência ou detenções, mas mais cedo a polícia usou canhões de água e gás lacrimogêneo para dispersar uma pequena manifestação não-autorizada, na qual os participantes jogaram pedras nos policiais. Nesse protesto menor, 25 pessoas acabaram detidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.