Milhares de iraquianos protestam contra pacto com EUA

Milhares de seguidores do clérigo xiita Muqtada al-Sadr realizaram um protesto contra a proposta de um pacto de segurança entre o Iraque o os Estados Unidos. Os manifestantes queimaram uma efígie do presidente norte-americano, George W. Bush. Pelo acordo que tramita no Parlamento iraquiano, as tropas norte-americanas poderiam ficar mais três anos no Iraque, até 2011. A efígie de Bush foi colocada no mesmo lugar em que havia no passado uma estátua do ex-presidente Saddam Hussein - derrubada por marines dos EUA - e então queimada. A área de Bagdá estava fechada para veículos e com forte policiamento. O Parlamento do Iraque deve votar a proposta na semana que vem. Mesmo se aprovado na casa de 275 representantes, o tema pode seguir como foco de divisão entre as forças do país, em busca de reconciliação."Essa multidão mostra que a oposição ao acordo não é insignificante e que o Parlamento cometerá um grande erro se escolher ignorá-la", afirmou Salah al-Obeidi, um porta-voz de al-Sadr. O protesto, na praça Firdous, contou com a presença de dois clérigos sunitas.Para os opositores, o acordo significa uma rendição do país aos EUA. Porém o primeiro-ministro Nouri al-Maliki, um xiita, argumenta que o pacto poderia finalmente levar o país a ser plenamente soberano. O gabinete iraquiano já aprovou a medida. Além de passar o texto, a situação quer uma boa vantagem na votação parlamentar, para evitar futuras críticas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.