Muhammad Hamed/Reuters
Muhammad Hamed/Reuters

Milhares de islamitas participam de protesto na Jordânia

Rei Abdullah II dissolveu o Parlamento e convocou eleições na quinta; cerca de 15 mil participaram de ato

Agência Estado

05 de outubro de 2012 | 10h56

AMÃ - Milhares de islamitas foram às ruas de Amã nesta sexta-feira, 5, para pedir por reformas no país, horas depois de o rei Abdullah II ter dissolvido o Parlamento e convocado eleições. Cerca de 15 mil pessoas participam da manifestação, estimaram correspondentes da AFP.

 

Veja também:

linkRei da Jordânia dissolve o Parlamento antes de eleições

 

"Nós exigimos reformas constitucionais", entoavam os manifestantes reunidos do lado de fora da mesquita Al-Husseini, no centro da cidade. "Nós estamos protestando há mais de 20 meses e você ainda não entende nossas exigências. Nós não gostamos de manifestações mas amamos a Jordânia", dizia um cartaz.

 

O monarca decidiu na quinta-feira dissolver a Câmara dos Deputados e antecipar as eleições, disse o Palácio Real. Não foi divulgada uma data para o pleito, mas o rei já disse que quer realizá-lo ainda neste ano.

 

Uma manifestação oposta, de apoio aos planos de Abdullah II, foi "adiada indefinidamente... para evitar problemas", afirmou o organizador Jihad al-Sheik. Ele disse que eram esperadas 200 mil pessoas.

 

A Irmandade Muçulmana da Jordânia disse que realizará outro protesto ainda nesta sexta-feira, após as orações. O grupo prevê que 50 mil manifestantes comparecerão.

 

As informações são da Dow Jones

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.