AP Photo/Anjum Naveed
AP Photo/Anjum Naveed

Milhares de islamitas radicais protestam no Paquistão

Cerca de 3 mil pessoas se manifestaram na capital Islamabad em razão do enforcamento no fim de fevereiro de Mumtaz Qadri, um ex-segurança que assassinou o governador de Punjab

O Estado de S. Paulo

28 de março de 2016 | 09h10

ISLAMABAD - Milhares de islamitas radicais protestaram nesta segunda-feira, 28, na capital do Paquistão, Islamabad, após a execução de outro islamita. Ele também pediram a punição de uma mulher cristã acusada de blasfêmia.

Mumtaz Qadri foi enforcado em 29 de fevereiro por matar o governador de Punjab, que havia solicitado uma reforma da lei sobre a blasfêmia, em um momento de divisões religiosas cada vez mais profundas neste país muçulmano de 200 milhões de habitantes.

Os simpatizantes de Qadri, um ex-segurança, entraram na capital a partir da cidade vizinha de Rawalpindi, onde se reuniram no domingo e enfrentaram a polícia e as tropas paramilitares.

Nesta segunda-feira, quase 3 mil pessoas, muitas delas com pedaços de pau, se reuniram na Avenida da Constituição de Islamabad, centro da cidade, perto da sede da presidência e do Parlamento, cercados por soldados.

Os islamitas também exigem a execução de Asia Bibi, uma cristã, mãe de cinco filhos, condenada por blasfêmia em 2010. Eles pedem ainda que Mumtaz Qadri seja declarador "mártir". / AFP

 

Mais conteúdo sobre:
PaquistãoParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.