Milhares de palestinos protestam na Cisjordânia

Milhares de pessoas saíram às ruas de Hebron, Belém e outras cidades da Cisjordânia para protestar contra as mortes de dois palestinos em confrontos com forças de Israel e de um terceiro palestino que sucumbiu a um câncer na prisão. Em Gaza, milicianos palestinos dispararam um foguete rústico que caiu no sul israelense, mas sem causar vítimas.

AE, Agência Estado

04 de abril de 2013 | 14h09

O acirramento da tensão levou, ontem, ao primeiro bombardeio israelense contra a Faixa de Gaza desde novembro do ano passado.

Em Hebron, milhares de pessoas saíram às ruas para os funerais de Maysara Abu Hamdiyeh, de 64 anos. Ele morreu em um prisão israelense depois de sucumbir a um câncer na garganta. Os palestinos acusam Israel de não ter tratado adequadamente de Abu Hamdiyeh, que cumpria pena de prisão perpétua por envolvimento em um plano para atacar um café em Jerusalém mais de dez anos atrás.

Em Tulkarem, também no norte da Cisjordânia, centenas de pessoas protestaram pela morte de dois palestinos. Eles foram baleados por soldados israelenses em um posto militar. O exército alega que os soldados dispararam depois que coquetéis molotov foram atirados contra eles.

Segundo o exército israelense, também houve confrontos com manifestantes palestinos em Belém e numa estrada que leva ao norte da Cisjordânia. O exército usou bombas de gás lacrimogêneo, mas não há informações sobre vítimas dos confrontos.

Numa reunião com líderes do movimento Fatah, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas, acusou Israel de disseminar violência para desviar a atenção da paralisia do processo de paz no Oriente Médio. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.