Milhares de pessoas assistem a funeral de bebê na Itália

Milhares de pessoas, 50.000 segundo fontes municipais, assistiram neste sábado, em Parma, no norte da Itália, ao funeral de Tommaso Onofri, o bebê de 17 meses seqüestrado no dia 2 de março e assassinado por seus raptores no povoado de Casalbaronco. "A morte de Tommaso sacode as consciências. Que sirva para que o homem saiba que a vida é sempre sagrada", declarou o bispo de Parma, Cesare Bonicelli, acrescentando que o terrível caso demonstra que a "cultura hedonista e individualista produz morte, que não é verdade que todos os desejos são bons e nobres e que a liberdade pode ser usada para o bem e para o mal". Bonicelli leu uma mensagem enviada por Bento XVI na qual o papa ressaltou que "uma vida inocente foi destruída com uma violência desumana". O prelado também fez votos para que a trágica morte de Tommaso "suscite também arrependimento nos quais perpetraram o execrável crime". O seqüestro e posterior assassinato de Tommaso comoveu a sociedade italiana, que nos últimos dias não parou de enviar mensagens de solidariedade à família, ao passo que moradores da localidade encheram de flores o lugar em que foi achado o corpo do bebê e a porta de sua casa. O funeral aconteceu na catedral de Parma, que várias horas antes já estava repleta de pessoas. Os milhares de presentes ocuparam também a praça e as ruas adjacentes. O presidente da República, Carlo Azeglio Ciampi, enviou um telegrama de pêsames e uma coroa de flores. Estiveram presentes no funeral o presidente da Câmara dos Deputados, Pierferdinando Casini, e o ministro dos Transportes, Pietro Lunardi.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.